Brega sim, porque não?

Quando criança somos inocentes e não existe a tal noção de ridículo. Mas um dos primeiros sintomas da adolescência pode ser facilmente identificado na frase “para mãe, não faz isso, que vergonha!” – ou qualquer outra variedade disso.
E o tempo passa, vem a vida adulta, e a gente percebe que o brega é relativo, que não precisa se importar tanto…
E assim, nos damos ao luxo de ser bregas. Pode ser num acessório escandaloso num dia aleatório. Naquela decoração nada a ver que você coloca na sala porque tem valor sentimental…
 2013-08-19 19.30.42
Essa estampa é de uma calça que eu ADORO, mas que não é necessariamente uma preferencia geral… rs
DSC02634
 E cosplay, é brega?
Ou então, pode ser numa cor de esmalte que faça com que seus amigos se perguntem: por que??
Esse tom de verde esquisitão aí é um dos tons de esmalte que eu mais gosto, e sempre que eu uso é uma polêmica… Não que eu me importe.
*** Este post faz parte da Blogagem Coletiva, do blog Fernanda Reali
3 BC de Sabado
Anúncios

2 pensamentos sobre “Brega sim, porque não?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s